Dia A Dia Da Economia - Míriam Leitão

Informações:

Sinopsis

Análise diária dos principais fatos da economia com uma das mais importantes e influentes jornalistas do país.

Episodios

  • PEC é uma subversão da ideia de imunidade parlamentar

    PEC 'é uma subversão da ideia de imunidade parlamentar'

    25/02/2021 Duración: 07min

    Míriam Leitão destaca que a imunidade parlamentar é importante para proteger o exercício democrático do mandato, mas a PEC que está tramitando tem 'um desvio de finalidade'. 'Nesse momento, o Congresso está conspirando para transformar uma prerrogativa de defesa da democracia em uma imunidade de criminosos', avalia.

  • Após um ano de luto, Brasil chega ao pior momento da pandemia ainda desgovernado

    Após um ano de luto, Brasil chega ao pior momento da pandemia ainda desgovernado

    25/02/2021 Duración: 06min

    Míriam Leitão comenta a reportagem de O Globo desta quinta-feira. O país ultrapassou 250 mil mortos em quase um ano de pandemia e está há 34 dias com mortes acima de mil por dia.

  • MP da Eletrobras é encenação do governo

    MP da Eletrobras é encenação do governo

    24/02/2021 Duración: 08min

    Míriam Leitão avalia que o presidente entregou a medida provisória para privatizar a Eletrobras com o objetivo de parecer que o governo irá voltar ao caminho liberal, e também para fazer um afago a Paulo Guedes. Entretanto, se Bolsonaro realmente tivesse vontade de privatizar, ele teria mobilizado suas bases para votar o projeto de lei que está no Congresso.

  • O governo colocou um jabuti enorme na PEC emergencial

    'O governo colocou um jabuti enorme na PEC emergencial'

    24/02/2021 Duración: 06min

    Míriam Leitão fala sobre a PEC emergencial, que foi adiada. 'Não faz sentido nenhum propor uma coisa tão complexa e sem explicação para ser votada em dois dias'. Ela acrescenta que o auxílio emergencial será um gasto solto no espaço. 'A equipe econômica teve muito tempo para fazer a engenharia fiscal que tornaria esse gasto possível'.

  • Não dá para ser feito de afogadilho uma coisa tão profunda

    'Não dá para ser feito de afogadilho uma coisa tão profunda'

    23/02/2021 Duración: 07min

    Míriam Leitão critica a proposta para aprovar uma PEC como condição para dar o auxílio emergencial. Pela versão divulgada ontem ela elimina todas as vinculações constitucionais para saúde e educação. 'É preciso discutir direito como fazer isso para não deixar as duas áreas sem os recursos necessários', diz.

  • Governo está disposto a trocar todo o conselho da Petrobras caso não concordem com mudança

    'Governo está disposto a trocar todo o conselho da Petrobras caso não concordem com mudança'

    23/02/2021 Duración: 06min

    Míriam comenta cenário da Petrobras após troca no comando da estatal e reunião do conselho que vai avaliar mudança. 'Eles vão receber resultado de 2020, que é de lucro, e aprovar a condução do general Luna para o conselho.'

  • É muito mais que um rebanho eletrônico

    'É muito mais que um rebanho eletrônico'

    22/02/2021 Duración: 07min

    Míriam Leitão comenta fala do vice presidente Hamilton Mourão, que minimizou as perdas do mercado em função das turbulências na Petrobras. ‘É uma queda muito grande e atinge todos os ativos do Brasil. É uma perda de confiança no país. É muito mais que um rebanho eletrônico, expressão usada pelo vice-presidente’. Analista comenta que o cenário é muito mais complexo do que uma simplificação populista como a que tentou fazer o vice.

  • Petrobras: avaliação é que houve intervenção

    Petrobras: 'avaliação é que houve intervenção'

    22/02/2021 Duración: 06min

    A mudança na direção da Petrobras, feita pelo presidente Jair Bolsonaro, levou apreensão ao mercado e aos economistas. ‘Avaliação mais comum é que isso é intervenção, ou ainda, o aprofundamento de uma política econômica intervencionista’. Ações da estatal despencaram e há um clima de apreensão.

  • Bolsonaro fez uma crítica de caso pensado para provocar a demissão do presidente da Petrobras

    'Bolsonaro fez uma crítica de caso pensado para provocar a demissão do presidente da Petrobras'

    19/02/2021 Duración: 09min

    Miriam Leitão faz um resumo dos assuntos da semana, com destaque para a Petrobras. Ela explica que o presidente da empresa, Roberto Castello Branco, não tem intenção de sair ou pedir demissão. Ele também só pode ser demitido por Bolsonaro se o conselho aprovar. Míriam Leitão cita o comentarista da CBN e colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim, que deu a informação de que, na próxima terça-feira, o Conselho de Administração da Petrobras vai se reunir para decidir a recondução ou não do presidente da empresa.

  • Bolsonaro quer demitir presidente da Petrobras

    Bolsonaro quer demitir presidente da Petrobras

    19/02/2021 Duración: 06min

    Míriam Leitão explica que Gilberto Castelo Branco só não foi demitido porque o presidente Jair Bolsonaro precisa da concordância do conselho de administração. Na noite de quinta-feira, Bolsonaro fez declarações com críticas ao presidente da Petrobras para provocar um pedido de demissão do próprio Castello Branco, que não pretende deixar o cargo.

  • Governo Federal não precisa de inimigos, ele mesmo cria os problemas

    'Governo Federal não precisa de inimigos, ele mesmo cria os problemas'

    18/02/2021 Duración: 05min

    Míriam Leitão criticou os problemas causados pelo governo e por aliados em meio a necessidade do andamento de pautas econômicas, como o auxílio emergencial. A comentarista disse que depois que a prisão do deputado Daniel Silveira for resolvida, ainda vai ser preciso solucionar o problema causado pelo presidente Jair Bolsonaro ao facilitar posse e porte de arma no país. Sobre a detenção do deputado, Míriam afirmou que a tendência é de que a prisão seja confirmada em plenário.

  • É melhor para a relação entre os poderes que a reposta seja forte

    'É melhor para a relação entre os poderes que a reposta seja forte'

    18/02/2021 Duración: 05min

    Míriam Leitão fala sobre a decisão unânime do STF de manter a prisão de Daniel Silveira. 'O recado dos 11 votos é que o Supremo não vai transigir'. Segundo ela, na Câmara, ainda não há voto para reverter a decisão. A Câmara decidiu reativar o Conselho de Ética e vai representar contra o deputado federal. 'O que o Supremo fez foi dar um tiro no coração de certas práticas dos seguidores de Bolsonaro'.

  • Ao invés de reativar economia, estado de calamidade pode causar uma recessão

    'Ao invés de reativar economia, estado de calamidade pode causar uma recessão'

    17/02/2021 Duración: 08min

    Míriam Leitão analisou a intenção do Governo Federal de tornar a cláusula de calamidade permanente e mais ampla. A comentarista afirmou que a grande preocupação da equipe econômica é a inflação. 'Um aumento de gasto agora, mesmo que importante, pode passar a visão de que a situação fiscal piorou e está fora de controle', opina Míriam.

  • O presidente está querendo formar milícias políticas

    'O presidente está querendo formar milícias políticas'

    17/02/2021 Duración: 06min

    Míriam Leitão fala sobre o decreto de Bolsonaro que torna mais fácil o acesso as armas e a prioridade dada ao projeto. 'Isso não é segurança pública'. Míriam explica que o presidente quer formar milícias políticas que o apoiem.

  • Auxílio tem que chegar e o governo tem que equilibrar as contas públicas

    'Auxílio tem que chegar e o governo tem que equilibrar as contas públicas'

    12/02/2021 Duración: 06min

    Míriam Leitão analisou a semana econômica do país com a aprovação da autonomia do Banco Central e o planejamento de um novo auxílio emergencial. A comentarista disse que o BC era tema político há muito tempo, mas que não era prioridade nesse momento. Sobre o auxílio para população, Míriam afirmou que o dinheiro tem que chegar nas mãos dos brasileiros e o Governo Federal tem que dar um jeito de equilibrar as contas.

  • O ministro Paulo Guedes está querendo o caminho mais fácil

    'O ministro Paulo Guedes está querendo o caminho mais fácil'

    12/02/2021 Duración: 06min

    Míriam Leitão fala sobre o ministro Paulo Guedes que quer a inclusão da PEC de Guerra como solução para o auxílio emergencial. Miriam destaca que Paulo Guedes não fez o trabalho que precisava ser feito nesses meses todos, que era preparar uma proposta consistente para ampliação do auxílio emergencial por mais um tempo. 'Essa é a solução fácil, de quem não se preparou para esse momento'.

  • Setor de serviços tem resultados negativos no ano

    Setor de serviços tem resultados negativos no ano

    11/02/2021 Duración: 07min

    Míriam Leitão comenta resultado do setor de serviços, que representa nada menos que 70% do PIB. Dados são negativos. 'Foi muito ruim. De dezembro pra novembro é estável. Mas quando pegamos o ano todo a queda é muito forte, de 7,8% por cento'. Isso é o dado geral do setor, mas há casos de serviços específicos que despencaram até 37%.

  • Pela primeira vez, um governo fez um discurso oficial a favor do desmatamento

    'Pela primeira vez, um governo fez um discurso oficial a favor do desmatamento'

    11/02/2021 Duración: 05min

    Míriam Leitão fala sobre o fim da operação onde militares atuavam no combate ao desmatamento da Amazônia. As ações ficarão concentradas em 11 cidades da região, onde as taxas de desmatamento são mais altas. 'É preciso empoderar os órgãos de controle'. Miriam diz que, de fato, é preciso mais atenção onde o crime está fora de controle. Mas, ela destaca que o atual governo estimulou o grileiro e o desmatador passando muitas mensagens nesta direção, o que vem dificultando as ações.

  • Briga entre Bolsonaro e Mourão é uma complicação a mais na questão ambiental

    'Briga entre Bolsonaro e Mourão é uma complicação a mais' na questão ambiental

    10/02/2021 Duración: 08min

    Míriam Leitão fala sobre dois ângulos da questão do meio ambiente. Um dos pontos é o estudo da UFRJ que aponta que o Ministério do Meio Ambiente flexibilizou 57 regras ambientais. Outro foco é o vice-presidente, Hamilton Mourão, presidente do Conselho da Amazônia, que está reunido com o conselho para definir um plano para a Amazônia por dois anos.

  • A gente já viu esse filme duas vezes: o p de provisório virou p de permanente

    'A gente já viu esse filme duas vezes: o 'p' de provisório virou 'p' de permanente'

    10/02/2021 Duración: 05min

    Míriam Leitão analisa a reportagem do Estado de S. Paulo sobre a criação de imposto temporário para bancar o auxílio emergencial. 'Essa equipe econômica pensa desde o primeiro instante em criar uma nova CPMF'. Ela explica que, na verdade, o que Paulo Guedes quer é criar um novo imposto para pegar, além das transações financeiras, quaisquer outros pagamentos. 'Isso já foi explicitado'.

página 1 de 2